Fique mais jovem com os Cinco Ritos Tibetanos - A Fonte da Juventude
14928
post-template-default,single,single-post,postid-14928,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-theme-ver-11.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

Fique mais jovem com os Cinco Ritos Tibetanos

Fique mais jovem com os Cinco Ritos Tibetanos

Os Cinco Ritos Tibetanos prometem a seus adeptos a Eterna Fonte da Juventude. Um conhecimento milenar vindo dos povos antigos do Tibete, os Lamas.

 

Vamos ser sinceros…

Quem não gostaria de continuar tendo a vitalidade de um jovem de 20 ou 30 anos a partir dos 40?

Pois bem, Peter Kelder, em seu livro “A Fonte da Juventude ” afirma que através dos Os Cinco Ritos Tibetanos isso é possível.

 

Ritos Tibetanos? O que seria isso, algum tipo de religião ou ritual sagrado?”

 

 

Os Ritos Tibetanos não se referem a nenhum tipo de religião, apesar de seus primeiros praticantes serem adeptos do budismo. Pode ser considerado como um ritual sagrado, levando em consideração os benefícios que ele proporciona.

Os movimentos são inspirados nos passos do yoga. Eles prometem trazer vitalidade e saúde para o corpo.

Meu marido e eu descobrimos os ritos por intermédio da minha professora de yoga. Quando ela nos ensinou os passos e nos disse que tais exercícios ajudavam a rejuvenescer o corpo e a mente, não pensamos duas vezes, começamos na manhã seguinte.

Nos primeiros dias os resultados foram nítidos; mais disposição, saúde física e mental para encarar o dia a dia. A experiência foi tão boa que decidi até contá-la no meu livro.

 

De onde vêm a prática dos Cinco Ritos Tibetanos?

 

A prática tem origem do Tibete, nos mosteiros das montanhas do Himalaias. Os passos eram feitos pelos povos que viviam na região, os chamados Lamas ou Monges Tibetanos.

Kelder em seu livro, escrito em 1937, retrata como teve contato com a pessoa que trouxe a sabedoria da prática para o Ocidente – o coronel Bradford. Nele, o autor conta a experiência do coronel, que quando servia na Índia, teve contato com nativos da região. Esses nativos contavam histórias sobre os Lamas, conhecedores da Fonte da Juventude.

O mais impressionante na história é que o coronel tinha 70 anos quando conheceu o autor, bem como a sabedoria dos movimentos. Com a prática dos exercícios, sua aparência era de uma pessoa de 40 anos. Ou seja, 30 anos mais jovem! Qualquer semelhança com o “Curioso Caso de Benjamim Button”, ao contrário, é mera coincidência!

Brincadeiras a parte, o autor conta como conheceu o coronel antes e depois dos ritos (aos 70 anos e depois aos “40 anos”). O primeiro encontro, inesperado, foi em um banco de praça. O coronel Bradford era senhor com todas as características de um idoso; andar devagar, costas curvadas, sinais da idade pelo corpo.

Quando se encontraram pela segunda vez, o coronel havia mudado totalmente. Era outra pessoa. Nesse encontro, ele apresentava uma aparência jovial, estava cheio de vida. Era a aparência de uma pessoa que viajou até as partes mais remotos do Himalaia para aprender os segredos da juventude com os Lamas.

Infelizmente, os Lamas perderam sua terra quando a China invadiu o Tibete em 1950. O filme “Sete Anos no Tibete”, fala um pouco dessa invasão. O filme tem como protagonista Brad Pitt, e conta a história de um alpinista austríaco acolhido pelo povo tibetano que, em seguida, torna-se mentor do Dalai Lama. Vale a pena assistir!

 

E qual seria o segredo desses movimentos?

 

A principal função dos exercícios está em reestabelecer o equilíbrio dos Sete Chacras.

Esses chacras estão intimamente ligados às glândulas endócrinas do nosso corpo. Os hormônios que regulam as funções corporais são produzidos por essas glândulas, inclusive o que controla o processo de envelhecimento.

Para aqueles que nunca ouviram falar, os Sete Chacras são Sete Centro de Energias que temos no corpo.

São eles: o Chacra da Base, situado na base da espinha; o Chacra do Sacro ou Sexual, na região do baixo ventre; o Chacra do Plexo Solar, acima do umbigo e abaixo do peito; o Chacra do Coração, no centro do peito; o Chacra da Garganta, o nome já diz onde fica; o Chacra da Testa, situado entre as sobrancelha; e o Chacra da Coroa, localizado no alto da cabeça.

Os monges ensinaram ao coronel que num organismo sadio, os Sete Chacras – também representados como vórtices de energia, giram em grande velocidade com o objetivo de trazer a energia vital para o nosso corpo. No entanto, se um desses vórtices diminuir o fluxo de rotação, o fluxo de energia fica bloqueado, resultando nas doenças e no envelhecimento.

E aí que entram os Cinco Ritos Tibetanos! Eles ajudam a fazer girar esses vórtices trazendo mais energia para o corpo.

 

Apenas fazendo Os Cinco Ritos vou deixar de envelhecer?

Não, todos vamos envelhecer. O processo de envelhecimento faz parte da natureza humana. Porém, com a prática e outros cuidados com o corpo, o envelhecimento torna esse processo mais prazeroso. Além do mais, envelhecer não é somente rugas e limitações física, mas também ficar mais consciente, mais sábio, conectando o corpo à mente e ao espírito.

Ok, entendi. E como faço para praticar os Cincos Ritos Tibetanos?

É fácil e não vai tomar muito do seu tempo diáio.

Escolha um horário. O mais adequado para a sua rotina; podendo ser de manhã – antes do trabalho; ou à noite, para relaxar as tensões de um dia atribulado.

Uma dica: os Ritos atrelados a alguns minutos de meditação depois, pontencializará a sua prática.

De início, deve-se praticar os Ritos em uma sequência de três vezes cada movimento. Depois,sentindo-se confortável, pode ir aumentando as repetições de duas em duas vezes, até chegar nos 21 movimentos por dia.

Atualmente, o meu marido e eu estamos em treze repetições diárias, praticadas na primeira hora do dia – às 6 horas da manhã. Em seguida, fazemos 15 minutos de meditação.

A seguir, compartilho com vocês um vídeo explicativo dos movimentos, feito passo a passo.

 

Lembre-se, os Ritos, sozinhos, não “Trazem a Salvação!”.

É necessário toda uma consciência de cuidado com o corpo e a mente. Por isso, é interessante incluir no seu dia a dia uma alimentação saudável, procurar ter contato com a natureza (pelo menos uma vez na semana), meditar, vigiar os pensamentos e ter atitudes positivas com relação a vida.

O coronel Bradford, divulgador da prática no Ocidente, disse a Kelder:

“Você, com certeza, já percebeu que algumas pessoas parecem velhas aos 40 anos, enquanto que outras parecem mais jovens aos 60 anos. A diferença entre elas é a atitude mental. Se você for capaz de se ver como jovem, apesar de sua idade, os outros o verão assim também.”

E não é que faz sentido!

Todos queremos envelhecer bem. No entanto, não basta “Querer”, é preciso Agir!

Então, que comecemos Agora!

Que tal mudar sua forma de agir, cuidando mais do corpo, da mente e do espírito? Os Cincos Ritos Tibetanos podem ser o primeiro passo para ajudá-lo a alcançar esse objetivo.

Apesar de ser mais conhecido como Os Cinco Ritos Tibetanos “cinco” movimentos principais, o livro fala de mais “Dois Ritos”, igualmente importantes. Mas esse assunto será tema para um próximo post.

Assine minha Newsletter!

Ah!, me conte também como foi sua experiência com os Ritos.

Vai ser demais saber quais foram os benefícios que eles trouxeram para a sua vida!

Um grande abraço e Namastê!

Escritora, casada, ex-workaholic. Adora bichos e viajar. Descobriu-se escritora aos 39 anos de idade. Em 2015, seu Retorno de Saturno “particular” foi um incentivo para uma reviravolta na vida. As dificuldades no casamento e as insatisfações com a profissão a levaram para esse mundo encantador da escrita. Os Opostos se Distraem é seu primeiro livro.

Compartilhe! =D
Nenhum comentário

Postar um comentário